Prefeitura Municipal de Macaé

Prefeitura monta base fixa na guerra contra o Aedes

2017-01-10 14:03:00 - Jornalista: Tatiana Gama
Compartilhe:  
Foto da base na praça
Foto: Rui Porto Filho
Servidores de diversos órgãos orientam a população na Praça Washington Luiz

Uma força-tarefa foi montada, nesta terça-feira (10), na Praça Washington Luiz. O espaço concentra ações da campanha "Macaé contra o Aedes" para o controle ao vetor transmissor da dengue, chikungunha e zika vírus. Representantes de diversos órgãos da Prefeitura de Macaé já orientam à população sobre a importância de eliminar os criadouros em suas residências.

De acordo com o coordenador do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Flávio Paschoal, os agentes de endemias estão percorrendo os bairros da cidade. Entre eles, Centro, Granja dos Cavaleiros, Jardim Franco, Miramar, Nova Malvinas, Parque Aeroporto, Visconde de Araújo, Vivendas da Lagoa e outros. A mobilização também acontecerá nos órgãos municipais e nas escolas da rede.

Nas ações de combate ao mosquito Aedes aegypti são realizados serviços de eliminação de criadouros, tratamento de larvicidas, atendimento às reclamações e coleta de inservíveis.

"A criação desse ponto fixo na praça também contribui para a formação de um grupo de servidores que vão atuar nessa força-tarefa. Com essa base fixa, desejamos mobilizar a população para ações efetivas contra o vetor. Os próprios moradores podem executar atividades para eliminar os criadouros e, assim, evitar a proliferação do mosquito", frisa Flávio.

O coordenador acrescenta que o combate tem como parâmetro o LIRAa que, este ano de 2017, ficou em 0,9%, um índice ainda considerado satisfatório pela Organização Mundial de Saúde (OMS). "Vamos atuar nos bairros, de acordo com o índice de maior possibilidade de infestação: Nova Esperança, Frade, Cajueiros, Nova Malvinas, Virgem Santa, Lagomar, entre outros. Essa é uma forma de se servir ao público", afirma.

Decreto

O Decreto nº 002/2017, publicado na sexta-feira (6), apresentou os procedimentos de prevenção e controle da dengue no município e ressaltou a necessidade e a obrigação do Poder Público Municipal de tomar ações preventivas e de combate à proliferação do mosquito.

Os imóveis fechados, segundo o decreto, também serão visitados. No caso de ausência de moradores no domicílio suspeito de ter focos de Aedes aegypti, o agente fará três tentativas de entrada, em dias e horas diferentes, deixando no imóvel notificação sobre o dia e a hora que retornará para novas vistorias. Havendo insucesso após três tentativas, e ausência de contato do proprietário, a autoridade sanitária providenciará a publicação em jornal de ampla circulação no município da data e hora da nova visita, ocasião em que o agente público designado poderá ingressar compulsoriamente no imóvel para efetivação das medidas necessárias à prevenção e controle.

Busca

Acesso Rápido

Destaque