Tecnologia e pesquisa

O governo municipal incentiva a pesquisa, a ciência e a tecnologia com foco em produzir tecnologia local, tanto para abastecer a principal vocação econômica municipal atual - a cadeia produtiva de petróleo e gás - quanto para diversificar a economia no futuro. A meta é projetar desenvolvimento sustentável, crescimento econômico e melhoria da qualidade de vida.

Para estimular o fomento da tecnologia e da pesquisa, Macaé apoia instituições como o Laboratório de Engenharia e Exploração de Petróleo (Lenep); o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFF) unidade Macaé e o Senai, braço da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

IFF

O campus Macaé do Instituto Federal Fluminense (antigo Cefet Campos) fica localizado às margens da Lagoa de Imboassica, próximo a empresas e multinacionais ligadas ao setor petrolífero. Por sua referência em educação, a instituição atende à comunidade local e a municípios vizinhos.

Em 1987, a Prefeitura de Macaé doou o terreno de 51 mil m² e, após convênio firmado entre Mec/Setec e a Petrobras, deu-se início à construção do prédio com total responsabilidade financeira da estatal. No dia 29 de julho de 1993 o prédio foi inaugurado e as atividades escolares iniciadas em 30 de agosto do mesmo ano.

Inicialmente, abrigou dois cursos técnicos integrados ao Ensino Médio, Eletrônica e Eletromecânica, com o total de 270 alunos. Hoje conta com Ensino Médio Integrado, Cursos Técnicos, Programa de Ensino para Jovens e Adultos (Proeja), Curso Superior e Pós-Graduação.

Os cursos técnicos oferecidos são os de Eletrônica, Eletromecânica, Automação Industrial, Informática, Segurança do Trabalho e Meio Ambiente. De nível superior, Engenharia de Controle e Automação Industrial. O Proeja compreende o curso técnico em Eletrotécnica e é direcionado para quem possui o Ensino Fundamental completo.
Para as aulas práticas, os alunos são encaminhados aos laboratórios como os de Automação Industrial, Máquinas Elétricas, Pneumática Industrial, Instrumentação, Controle de Processos, Metrologia, Ajustagem e Soldagem. Além dos laboratórios de Física, Informática, Química e Biologia.

Na área de pós-graduação stricto sensu conta com o Mestrado Profissional em Engenharia Ambiental, com as linhas de pesquisa nas áreas de Gestão Ambiental Participativa e Promoção da Sustentabilidade Regional.

Campus Macaé
Rodovia Amaral Peixoto, Km 164
Imboassica, Macaé/RJ
(22) 3399-1500

Senai

O Senai ocupa uma área de 7,5 mil metros quadrados, com infraestrutura de 20 oficinas e laboratórios para educação profissional, e oferece consultoria tecnológica às empresas. Disponibiliza cursos nas áreas de mecânica, tecnologia da informação, automotiva, petróleo, metalurgia e automação.

Estrada Virgem Santa, 657 - Quadra 2
Mais informações: 0800 0231 231|4002 0231
E-mail: faleconosco@firjan.com.br

Lenep

A Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) possui quatro grandes centros: o CCH (Centro de Ciências Humanas), o CBB (Centro de Biologia e Biotecnologia), o CCTA (Centro de Ciência e Tecnologia Agropecuárias) e o CCT (Centro de Ciência e Tecnologia).

Como parte integrante do CCT, com foco em atuar no setor de petróleo e gás, foi implantado em Macaé o Laboratório de Engenharia e Exploração de Petróleo (LENEP), que desenvolve pesquisa científica e tecnológica na área de exploração e produção de petróleo. É responsável pelo ciclo profissional do Curso de Graduação em Engenharia de Exploração e Produção de Petróleo, bem como pelo Curso de Pós-Graduação scricto sensu, mestrado e doutorado em Engenharia de Reservatório e de Exploração.

Educação Conectada

Quarenta e oito escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental têm ações do programa federal Educação Conectada, que tem como objetivo universalizar o acesso à internet de alta velocidade e trabalhar com eixos como formação de gestores, professores e infraestrutura. Será disponibilizado acesso aos recursos educacionais digitais (laptop, tablet ou computador) e incentivo à produção, aquisição e socialização de recursos entre as redes de ensino.

Diretores das escolas atendidas já estão mobilizados na elaboração do Plano de Aplicação Financeira (PAF) para receber o apoio técnico e financeiro. Com isso, as escolas vão receber recursos, nos moldes do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), para contratação de serviços de conexão à internet, aquisição de equipamentos para distribuição de sinal ou dispositivos eletrônicos para utilização da internet no uso pedagógico.Também está previsto o oferecimento de cursos de formação de professores para o uso da tecnologia em sala de aula. A previsão é que a efetivação do trabalho seja iniciada a partir deste segundo semestre de 2018.

O programa também vai possibilitar a contratação de serviço de acesso à internet; implantação de infraestrutura para distribuição do sinal da internet nas escolas; aquisição ou contratação de dispositivos eletrônicos, recursos (softwares) educacionais digitais ou suas licenças.

Comunidades Inteligentes

Em maio de 2018 foi realizado, na Cidade Universitária, o "Hackaton- Comunidades Inteligentes", uma maratona de aplicativos pensados coletivamente para contribuir com a atuação da Defesa Civil. O trabalho é uma parceria da Defesa Civil e do Programa Inovar e Aprender, que abrange 1,5 mil alunos em ações de inovação, tecnologia e ciência.

O Hackathon foi um evento de iniciativa acadêmica e social de disseminação da ciência e tecnologia, a fim de promover uma educação inovadora e com potencial de transformação social junto à equipe da Defesa Civil.

O aplicativo elaborado vai ajudar a promover e facilitar práticas de resgate, alertas e ainda coleta de dados para a aproximação da população junto à Defesa Civil.
Inovar e Aprender

O programa Inovar e Aprender atua na gestão, por meio da tecnologia, e na formação dos estudantes. Possui laboratório público de robótica, que se destaca na região por atender estudantes, universitários e crianças a partir de sete anos. O espaço recebe estudantes de 11 escolas municipais. Eles se dividem em estações, que integram diretamente 1,5 mil estudantes do quarto ano ao Ensino Médio.

Crianças, jovens e adultos moradores de diversos bairros de Macaé fazem parte de oficinas gratuitas. Além disso, o local recebe cerca de cinco mil alunos, que participam indiretamente de outras atividades com os robôs e com universitários. Também são realizadas aulas de oficina de inovação direcionadas para os profissionais da educação.
O Lab Inovar conta com desenvolvimento de jogos, preparação de equipes, realização de torneios, prototipagem, movimento maker e incentivo à cultura de gambiarra. No laboratório são ministradas oficinas gratuitas. O objetivo do Inovar e Aprender é formar autores de novas tecnologias, através do desenvolvimento do pensamento computacional, utilização de ferramentas de forma consciente, criação e autoria coletiva de soluções para um mundo melhor.

Núcleo de Tecnologia Municipal Educacional

O Núcleo de Tecnologia Municipal Educacional (NTM) da prefeitura oferece cursos para alunos, profissionais das escolas municipais e integrantes do programa Nova Vida. O espaço funciona na sede da Secretaria de Educação e disponibiliza capacitação para educação digital.

A programação abrange professores da salas de aula e dos 38 laboratórios Proinfo (do Ministério da Educação) que assistem estudantes do 1º ao 9º ano. Os cursos atraem educadores que fazem uso de estratégias virtuais para contribuir com o processo de ensino.

Nos últimos 10 anos, o Núcleo de Tecnologia Municipal Educacional formou e capacitou dois mil estudantes e profissionais da educação.

TV digital

A distribuição de kits da tevê digital em Macaé é feita para beneficiários de programas sociais do Governo Federal. Para agendar a retirada ou saber se está na lista fornecida pelo Ministério do Desenvolvimento Social, a "Seja Digital", responsável por operacionalizar a migração do sinal analógico para o sinal digital da televisão no Brasil, criou uma página na internet e um centro de atendimento telefônico, no número 147. O usuário precisa ter em mãos o Número de Identificação Social (NIS).

O kit, que permite que as famílias de baixa renda tenham acesso à programação da tevê digital, contém uma antena digital, um conversor externo (que deve ser conectado ao aparelho de televisão), um controle remoto e um manual de instalação.

O município está em fase de distribuição de 17 mil kits. O processo terminará até 45 dias após o desligamento do sinal analógico, previsto para 28 de novembro de 2018. A retirada acontece no Centro de Convivência do Idoso (CCI), na Ajuda.

Busca

Acesso Rápido

Destaque