Prefeitura Municipal de Macaé

Portal de Dados GeoMacaé

Georreferenciamento

O que é georreferenciar?

Georreferenciar é associar um elemento posicionado na superfície da Terra a um sistema de coordenadas de referência, permitindo saber com precisão sua localização e a de ocorrências e fenômenos a ele relacionados. Diversas áreas de conhecimento são importantes para as atividades de georreferenciamento, como Aerofotogrametria, Geodésia, Sensoriamento Remoto, Cartografia, dentre outras, também conhecidas como Geotecnologias.    
 

Sistema de referência geocêntrico. 

 
Sistemas de Coordenadas

Ao se
georreferenciar um elemento localizado na superfície do planeta Terra é necessário associar sua posição a um sistema de coordenadas. Normalmente são utilizadas como referências a linha do Equador e o meridiano de Greenwich, que servem de suporte para definir as seguintes grandezas:
  • Latitude: é a distância ao Equador medida ao longo do meridiano de Greenwich. É medida em graus, variando entre 0º e 90º para Norte(N) ou para Sul(S).
  • Longitude: é a distância ao meridiano de Greenwich medida ao longo do Equador. É medida em graus, podendo variar entre 0º e 180º para Leste(L) ou para Oeste(O).
 

Latitude e Longitude


Um sistema de coordenadas bastante utilizado mundialmente é o UTM (Universal Transversa de Mercator), que se baseia numa projeção cilíndrica transversa, proposto pelos Estados Unidos da América em 1950.




É
 composto de 60 fusos distintos que representam a superfície da Terra, onde cada fuso tem a amplitude de 6º de longitude.

 


O Brasil ocupa as zonas mostradas na figura abaixo: 



Sistemas de Informação Geográfica (SIG)


Para auxiliar as atividades de georreferenciamento de dados utiliza-se um Sistema de Informações Geográficas (SIG), um sistema computacional que permite a captura, armazenamento, análise, produção e exibição de dados associados às respectivas posições na superfície da Terra. Em um SIG os dados são representados em camadas (layers) cada qual com um tema específico (vegetação, arruamento, escolas etc) e um tipo de geometria (ponto, linha e poligono). As camadas de dados podem ser combinadas para gerar mapas temáticos, gráficos, relatórios e outros documentos para apoiar a tomada de decisão em áreas como Saúde, Educação, Marketing, Planejamento Urbano etc.


Camadas de dados em um SIG.


Exemplos de Aplicação


O diagrama mostrado a seguir foi produzido por um SIG e é resultado do monitoramenrto do nível água do Aquífero Ogallala (EUA) entre 1980 e 1990. Com uma área de aproximadamente 450.000 km², o aquífero passa pelos estados de Dacota do Sul, Nebraska, Wyoming, Colorado, Kansas, Oklahoma, Novo México e Texas, sendo considerado um dos maiores do mundo. 


Monitoramento dos níveis de água no Aquífero Ogallala (EUA).
 
O monitoramento de emergências em Jakarta, Indonésia, é realizado como o apoio de geotecnologias em uma sala especialmente projetada para esta função. Os dados e imagens provenientes de fontes heterogêneas como celulares, rádio, tv, internet etc, são consolidados em um SIG e servem de referência para que as autoridades ajam nas mais diversas situações.
 

Sala de controle de monitoramento de emergências em Jakarta, Indonésia. 
 
 
Considerações Finais

A utlização de informação geográfica é uma grande aliada nos processos de gestão, auxiliando no planejamento, execução e monitoramento de ações com eficiência, eficácia e transparência. A produção de dados georreferenciados e sua manipulação com SIG é crescente em todo o mundo, seja em organizações públicas ou privadas, demonstrando que o cenário de aplicação dos mesmos é  amplo e que não há limites para sua utilização.
Busca

Destaque