Modernização do circo inclui espetáculos via celulares

2021-02-22 16:42:00 - Jornalista: Equipe Secom / Assessoria da Cia Chirulico
Compartilhe:  
Foto: Divulgação / Assessoria da Cia Chirulico
Companhia divulga espetáculo em formato híbrido

Depois de um ano parados por causa da pandemia do novo coronavírus, artistas da Cia Chirulico voltam à ativa em Macaé. No último fim de semana houve cortejo e distribuição de ingressos no Centro, no Parque Aeroporto e no distrito de Córrego do Ouro, para o projeto "Circo na Mão", que divulga o espetáculo 'Trocadilhos'. A atividade foi adaptada ao vídeo, com ações presenciais limitadas, via celular, de modo gratuito.

As aventuras dos palhaços Fornalha (Anthony Brito) e Margarida (Aline Barbosa) chegarão em formato híbrido. Durante a passagem da trupe, o público recebeu ingressos com as instruções para assistir o espetáculo, gratuitamente, no celular. "Trocadilhos" será enviado em três partes: uma por dia. Os interessados devem enviar a mensagem “Eu quero” para o telefone (22) 99735-3037 (ChiruZap).

A Chirulico também vai disponibilizar clipes exclusivos com imagens do cortejo e, ainda, uma música especialmente composta para Macaé. “As expectativas são enormes e tudo está sendo preparado com muito carinho e segurança. Em breve, o público descobrirá histórias incríveis”, disse Anthony.

O projeto foi selecionado pelo edital “Retomada Cultural RJ”, que é apresentado pelo Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro e Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, por meio da Lei Aldir Blanc.

Com o objetivo de evitar riscos, as atividades presenciais acontecerão em constante movimento. Mesmo assim, a equipe envolvida no projeto estará com kits de higiene, que incluem máscaras e álcool em gel. Além de Macaé, “Circo na Mão” passará por Campos dos Goytacazes, Carapebus, Cardoso Moreira, Conceição de Macabu, Quissamã, São Fidélis, São Francisco do Itabapoana e São João da Barra.

Cia Chirulico

Companhia de palhaçaria, teatro de bonecos, música e arte de rua, a Chirulico foi formada em 2013 por Anthony Brito (Fornalha) e Aline Barbosa (Margarida), com sede em Macaé. Eles são formados na Escola Livre de Palhaços (EsLiPa) e, ao longo dos anos, têm percorrido o país com espetáculos, oficinas e participações em festivais.

Desde os primeiros meses de 2020, Anthony e Aline, ao lado do filho Vicente, transformaram parte da casa onde moram em um estúdio. Lá, eles fizeram lives e uma série de gravações que estão disponíveis nas redes sociais do grupo.

Todos os vídeos do projeto contarão com tradução na Linguagem Brasileira de Sinais (Libras). Para as postagens na internet, a companhia adotará legendas nos vídeos e descrições inclusivas, com as hashtags #PraTodosVerem e #PraCegoVer.

Outra ação está voltada para a sustentabilidade. Como forma de compensar a emissão de Dióxido de Carbono (CO2) feita pelos veículos envolvidos no projeto (cortejo e propaganda), o grupo irá realizar o plantio de mudas de árvores em todas as cidades contempladas. Além disso, todo o material gráfico será impresso em papel semente, que o público poderá utilizar para o plantio de hortaliças.

Busca

Acesso Rápido

Destaque