Atividades da Classe Hospitalar são retomadas no HPM

2022-05-25 15:27:00 - Jornalista: Genimarta Oliveira
Compartilhe:  
Foto: Bruno Campos
Ação conjunta entre as secretarias de Educação e Saúde visa evitar a evasão escolar

As atividades do programa "Classe Hospitalar/Atendimento Domiciliar", da Secretaria de Educação, foram retomadas nesta semana, no Hospital Público de Macaé (HPM). Esta é uma ação conjunta entre as secretarias de Educação e Saúde, que visa evitar a evasão escolar, além de promover a integração entre a criança, a família e o hospital.

Para a coordenadora da Classe Hospitalar/Atendimento Domiciliar, Letícia Moraes, é gratificante o retorno do programa, que foi paralisado durante o período crítico da pandemia de Covid-19. " Este é um programa que existe há anos e que é destinado aos alunos que estão impossibilitados de frequentar as aulas em função da saúde debilitada", disse.

Ela lembrou que o atendimento domiciliar foi retomado, de forma presencial, assim que as aulas nas escolas da rede começaram. Atualmente são atendidas cinco crianças nessa modalidade.

Segundo a professora, Priscila Martins as crianças são atendidas conforme a faixa etária. "Neste momento estamos fazendo um trabalho de interação, utilizando jogos e brinquedos pedagógicos. Para as crianças com mais de cinco dias de internação, entramos em contato com a escola e solicitamos as atividades para que não retornem à unidade com o aprendizado defasado", reforçou Priscila, acrescentando que conforme o estado de saúde, o aluno realiza atividades escolares e até provas no hospital.

A mãe do pequeno Noah de um ano e oito meses, Cinthia Rodrigues disse que o filho adorou o espaço. "Logo que a professora abriu a sala, ele saiu da enfermaria e foi entrando. Essa interação trouxe mais disposição e alegria para as crianças", disse.

A nova dinâmica também foi aprovada por Rebeca, de um ano e quatro meses, e Agatha, cinco anos. Acompanhadas das mamães, Luciana Rodrigues e Maciele Matos, elas se divertiram. "O ambiente hospitalar é doloroso para a criança e ter um espaço onde podem aprender brincando é muito bom. A Agatha está sentindo muita falta da escola. Quando veio para sala ela quis folha e lápis", contou Maciele.

Busca

Acesso Rápido

Destaque