Ecobarreiras como referência para a educação ambiental

2005-06-29 17:17:25 - Jornalista: Marilene Carvalho
Compartilhe:  

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) está analisando o desempenho das ecobarreiras instaladas pela Serla, há cerca de dois meses, no canal Macaé-Campos e no canal coletor. O objetivo, além de usar as barreiras para reter o lixo que aporta na foz do Rio Macaé e manguezais, é de utilizar as ecobarreiras como pontos de referência para a educação ambiental.

A intenção da Secretaria de Meio Ambiente é fazer com que o Projeto Ecobarreiras não funcione apenas como barreiras contra o lixo. O objetivo maior, segundo os técnicos da Semma, é conscientizar a população sobre a destinação adequada do lixo, transformando esses locais em pontos de referência para o processo de educação ambiental, dirigido principalmente às comunidades ribeirinhas do estuário do Rio Macaé.

Em fase de teste, as ecobarreiras são feitas com garrafas PET e outros plásticos amarrados em corda de nylon, formando um cordão flutuante de impedimento à passagem de objetos. A avaliação do desempenho do equipamento, irá fornecer elementos para que os técnicos da Secretaria de Meio Ambiente façam as adaptações necessárias à instalação de barreiras flutuantes em outros pontos estratégicos, como o canal do Capote e o canal de Imboassica, além de trechos do Rio Macaé, nos bairros Malvinas e Botafogo.

Busca

Acesso Rápido

Destaque