I Fempe supera expectativas de venda e público

Apr 10, 2006 5:58:31 PM - Jornalista: Catarina Brust

A I Feira Macaense de Preços Especiais (Fempe) superou as expectativas iniciais de comerciantes, da Realização Projetos e Eventos e da prefeitura de Macaé. Os números finais ainda não foram contabilizados, mas estima-se que cerca de 20 mil pessoas compareceram a I Fempe e os comerciantes tiveram faturamento acima de R$ 1,5 milhão. O prefeito de Macaé, Riverton Mussi, acompanhado da primeira-dama, Márcia Moraes, visitou a feira, no domingo (09).

Devido ao sucesso, o prefeito de Macaé, já estuda a possibilidade de realizar a segunda edição da Fempe, provavelmente em outubro, na mudança de estação primavera/verão.

- Tão logo as pesquisas de satisfação dos lojistas e dos consumidores estejam prontas, a secretaria de Indústria e Comércio disponibilizará os resultados. A impressão durante o evento foi a melhor possível. Diversas manifestações de lojistas e consumidores apoiando o evento, reforça a importância de que outras iniciativas como essa possam se repetir. O prefeito já mostrou que vai encaminhar estudos para a realização da segunda edição-, explica o secretário de Indústria, Comércio, Desenvolvimento e Energia, Alexandre Gurgel.

Segundo Gurgel, o prefeito Riverton Mussi e uma comissão preparatória estão avaliando também a inserção do comércio de Macaé, na Exposição Agropecuária, Industrial e Comercial de Macaé, que acontece em julho, no aniversário da cidade.

Erodice Gaudart, presidente da Associação Comercial e Industrial de Macaé (Acim), destacou que a I Fempe, além de superar amplamente as expectativas, mostrou a união do comércio e dos consumidores.

- A estrutura montada foi excelente. Apesar da exigüidade do tempo, da elaboração até a realização da Fempe, o evento teve a participação fantástica da Acim, da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) e do governo municipal. O prefeito esteve ontem (domingo) na Fempe, e viu a satisfação dos clientes e dos comerciantes -, informou Erodice.

O presidente da Acim explicou também que o faturamento dos comerciantes era estimado entre R$ 700 a R$ 900 mil. “Esse valor foi superado e deve estar acima de R$ 1,5 milhão. Foi um marco fantástico, porque o comércio teve participação fundamental, comprometendo-se em vender com preços especiais. Que aliás, eram especialíssimos”, encerrou Erodice Gaudart.