Levantamento de Índice Rápido para Aedes Aegypti é divulgado

2022-06-23 18:58:00 - Jornalista: Joice Trindade
Compartilhe:  
Foto: Bruno Campos - Arquivo Secom
Resultados apontam índice baixo de infestação e necessidade de manter ações de prevenção

O resultado da pesquisa do Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), deste mês, foi divulgado nesta quinta-feira (23), pela Coordenadoria Especial de Vigilância Ambiental em Saúde da Secretaria de Saúde de Macaé. O LIRAa apresentou um índice de Infestação Predial médio da cidade, de 0,7%, condição considerada baixa pelo Ministério da Saúde, em função do mês de junho.

Para a realização da pesquisa, o município foi dividido em 13 áreas, chamadas de estratos, abrangendo todas as 26 localidades. Em 11 foram encontradas amostras (focos do mosquito), sendo uma de risco e três de alerta.

Os resultados obtidos neste LIRAa indicam a necessidade de se manter as ações de prevenção da doença, já que o vetor encontra-se presente em muitos bairros da cidade, embora em baixas densidades. Entre as ações estão previstas ainda atividades educativas e monitoramento dos pontos estratégicos.

De acordo com a pesquisa os depósitos mais comuns foram de cisternas, caixas d’ água, tambor e tonel (61%), seguido por depósitos fixos (17,1%), como calhas e ralos sanitários, lixos e pneus (17%) e caixa da água em nível superior (4,9%).

Segundo o supervisor Marcelino da Rocha Carvalho, a população deve ficar atenta quanto aos cuidados com a limpeza da casa, principalmente a área interna, pois 85% dos criadouros encontrados foram dentro da casa do morador. “Fazer limpeza e tirar um dia da semana para procurar vistoriar o quintal são ações ideais para evitar a proliferação das larvas”, ressalta. Ele lembra também, que a recomendação é que as caixas de água sejam mantidas fechadas e lavadas com esponja.

A partir da próxima segunda-feira (27) serão retomados os mutirões, programação em que os agentes de endemias percorrem os bairros, de acordo com o índice de infestação de larvas do mosquito. Além do trabalho de campo, com visitas às residências para eliminação de criadouros e tratamento, será feito o trabalho com o carro fumacê, e mutirões intersetoriais nas áreas em risco e alerta. - As visitas dos agentes têm papel fundamental, mas a parceria da população é essencial para contribuir na eliminação de fatores de risco para a presença das larvas - explicou Marcelino.

Considerando o nível de infestação do vetor em Macaé, a Secretaria de Saúde aponta a importância do envolvimento da população para o controle dos depósitos nos imóveis residenciais e comerciais, assim como do poder público, nas áreas de sua responsabilidade.

Vale lembrar que o resultado do LIRAa apresenta dados atuais sobre infestação de larvas pelo mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. O objetivo é identificar as áreas onde há maior proporção e ocorrências de focos e os criadores predominantes. Os números obtidos por região servem de base para determinar as próximas ações de prevenção e combate ao vetor.

Busca

Acesso Rápido

Destaque